Sites ilegais têm sido banidos desde 2015 pela China, que trabalha na segurança virtual do seu território. Fechando mais de 13.000 sites, o Governo continua se esforçando para manter estabilidade.

Autoridades incluindo Administração de Cyberspaço da China, chamaram mais de 2.200 operadores de sites para cobrar explicações.

Além dos endereços, foram fechados mais de 10 milhões de contas consideradas ilegais, propagando informações de terrorismo e pornografia. Não foram dados muitos detalhes, mas as contas eram de plataformas de mídias sociais.

“A segurança da Internet diz respeito à força de longo prazo do poder, a paz e estabilidade do país, o desenvolvimento socioeconômico e os interesses da população”, disse Xinhua.

Em uma pesquisa do governo, 90% da população é a favor das medidas de proteção da internet no país. 63,5% acreditam que, nos últimos anos, tiveram reduções perceptíveis no conteúdo nocivo na rede.

“Esses movimentos têm um poderoso efeito dissuasivo”, disse Wang Shengjun, vice-presidente do comitê permanente do parlamento, de acordo com a Xinhua.

A China inaugurou uma lei rígida de segurança cibernética em junho, após anos de discussões em torno da polêmica legislação. Muitos grupos empresariais estrangeiros temem se atingirão sua capacidade de operar no país.

Mais de 10 milhões de pessoas que não registraram seus nomes reais tiveram a internet ou outras contas de telecomunicações suspensas.

O relatório foi submetido à sessão bimensual contínua da legislatura superior para deliberação. A sessão terminará quarta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here